Seguidores

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Dez roubos que marcaram a história

De caixões a barras de prata e livros gigantes, não há o que pare um bom ladrão



Joias - 1111 a.C.


Golpe à egípcia


De acordo com o Museu Britânico, o primeiro ladrão de túmulos processado no Egito foi Amenpanufer, acusado de surrupiar ouro e joias de tumbas de faraós no Vale dos Reis. Seu roubo mais notório foi o da câmara mortuária de Sobekemsaf. "Eu roubei, sim, por força do hábito", teria dito. Para o historiador T.E. Peet, Amenpanufer encobria uma rede de corrupção da nobreza.

Prata - 44 a.C.


Assalto a Herodes


Na Judeia, um golpe limpou o cofre do governador Herodes. Hezekiah ben Garon, autor do plano, era líder dos zelotes, o partido extremista judaico. Ele e seu bando ludibriaram a guarnição, disfarçando-se de pastores, e afanaram a carga de prata que estava prometida a Cássio, conspirador no assassinato de Júlio César.


Corpo - 1087


Santo furto


Uma comitiva da cidade italiana de Bari foi à Ásia Menor com uma missão peculiar: roubar o cadáver de são Nicolau (que gerou a lenda do Papai Noel), patrono da cidade de Mira (na atual Turquia). Os furtos fúnebres fomentaram um lucrativo comércio na Idade Média. Bari se tornou, então, um centro de peregrinação. Mas, para driblar o mandamento "Não roubarás", os juristas católicos criaram um artifício: o furto teria sido, na verdade, um mero translado.


Arte - 1473


Imbróglio polonês


A pintura O Juízo Final, de Hans Memling, foi roubada do navio que a transportava dos Países Baixos para Florença quando a embarcação foi rendida pelo capitão Pawel Beneke. Misteriosamente, a obra apareceu na Catedral de Gdansk, na Polônia, gerando um incidente diplomático. O Vaticano mediou a discussão e o quadro permaneceu na Polônia. Foi o primeiro caso ilustre de roubo de arte no Ocidente.



Joias - 1792


Assalto em Paris


O diamante mais famoso do mundo, o Hope, tem um passado nebuloso: ele seria, na verdade, o Azul de França, de Maria Antonieta. A joia foi surrupiada por Cadet Guillot - que roubou também a coroa de Carlos Magno. Em 1813, a pedra reapareceu em Londres. Comprada pelo banqueiro Henry Hope, acabou doada ao Museu Smithsoniano.


Arte - 1648


O livro do demo


A Bíblia do Diabo foi escrita por um monge beneditino no século 13, que teria feito pacto com o demônio para terminá-la. A história é talvez apócrifa. A bíblia ganhou o apelido, contudo, por causa de uma ilustração do capeta. Com 92 cm de altura, 50 cm de largura e mais de 70 kg, ela foi roubada em Praga durante a Guerra dos Trinta Anos, como um espólio de guerra, por mercenários do rei sueco Karl VIII. Até hoje, a obra permanece na Suécia.


Arte - 1878


Gênio do Crime


Numa noite enevoada de Londres, o quadro A Duquesa de Devonshire sumiu da galeria Thomas Agnew & Sons. Foi um roubo de Adam Worth, conhecido na Scotland Yard como Napoleão do Crime. O furto, porém, foi inútil: o retrato da jovem Georgiana Spencer não teve comprador. Em 1901, nos EUA, Worth, já velho e doente, negociou um resgate e o quadro voltou ao mercado.

Arte - 1911


Sorriso roubado


Disfarçado de funcionário do Louvre, o pintor Vincenzo Peruggia roubou o quadro Monalisa. Entre os suspeitos estavam o pintor Pablo Picasso e o poeta Guillaume Apollinaire - Peruggia só foi descoberto em 1913. Sua motivação era patriótica: queria que a obra voltasse à Itália. A pena de Vincenzo foi leve e os jornais italianos o trataram como herói.


Dinheiro - 1934


Inimigo nº 1


Uma onda de assaltos a bancos varre os EUA. Nenhum gângster é tão famoso quanto John H. Dillinger, o Inimigo Público Nº 1. Depois de fugir da prisão, ele é acusado de assaltar o Security National Bank - um roubo de 46 mil dólares. O FBI promoveu uma caçada humana a Dillinger, que foi morto a tiros.

Joias - 2003


Roubo CSI


Uma gangue italiana, chamada Escola de Turim, planeja durante um ano e meio o roubo ao Distrito dos Diamantes de Antuérpia, na Bélgica. Leonardo Notarbartolo e seu grupo estudam a planta do local, clonam chaves eletrônicas e descobrem como passar despercebidos. O bando limpou 123 dos 160 cofres (US$ 100 milhões em pedras).

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DUAS AMIGAS

DUAS AMIGAS
A PRIMEIRA FOTO Q CONSEGUI DAS DUAS JUNTAS