Seguidores

sábado, 26 de junho de 2010

Hoje li uma noticia maravilhosa,os colegas GCMS :   

GCM Vital Enc.
GCM Ferriani Mot.
GCM Pimentel 1° Aux.
GCM Lima 2° Aux.
Estavam em patrulhamento de rotina quando foram acionados por uma cidadã dizendo que sua filha se encontrava emn trabalho de parto,os GCMS concientes da situação que encontrariam adentraram na residência para prestar socorro e ainda acionaram da viatura do SAMU,que quando chegaram os mesmo já haviam feito o parto dentro das normais internacionais de higiêne,quando a viatura do SAMU levou mãe e recém nascidos para o hospital são luiz no Jaçana,os ,mesmo ficaram muito emocionados com um trabalho tão "diferente ' e ao mesmo tempo dentro de nossa area,ou seja ajudar todo e qqr cidadão nas suas necessidades.

Parabéns aos colegas da capital.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Cientistas na Suíça tentam recriar o som da 'partícula de Deus'

Cientistas simularam o som de partículas subatômicas produzidas no Grande Colisor de Hádrons (GCH), na Suíça.

O objetivo é facilitar a identificação da chamada "partícula de Deus" - o bóson de Higgs - cuja existência ainda não foi confirmada, mas que, segundo teorias, daria massa a todas as outras.

A cientista Lily Asquith coordenou a equipe que desenvolveu o modelo que transforma dados do gigantesco experimento Atlas, no GCH, em sons.

"Se a energia estiver perto de você, você ouve um som grave, e se estiver mais longe, mais agudo", disse Asquith.

O colisor é um projeto milionário construído na fronteira entre a França e a Suíça para tentar responder algumas perguntas fundamentais para a física.

O experimento acontece em um túnel circular de 27 quilômetros de comprimento, repleto de imãs que "conduzem" partículas de prótons pelo imenso anel.

Em certos pontos do trajeto, os feixes de prótons mudam de trajetória e se chocam em quatro experimentos, que são minuciosamente monitorados pelos cientistas.

É nessas colisões que os estudiosos esperam encontrar novas partículas subatômicas, como o bóson de Higgs, que ajudariam a entender a origem do Universo.

Atlas é um dos quatro experimentos do colisor. Um instrumento batizado de calorímetro é usado para medir energia e é composto de sete camadas concêntricas.

Cada uma dessas camadas é representada por um tom diferente, dependendo da quantidade de energia contida nele.

O processo de transformar dados científicos em sons é chamado sonificação. Até o momento, a equipe de Asquith criou diversas simulações baseadas em previsões do que aconteceria durante as colisões no GCH.

Só agora, começaram a utilizar dados de experimentos reais.

"Quando você ouve as sonificações, na realidade, o que você está ouvindo são dados. Elas são fieis aos dados e dão informações sobre os dados que não seriam possíveis de se obter de qualquer outra maneira", disse Archer Endrich, um desenvolvedor de software que trabalha no projeto.

Pela sonificação, os cientistas esperam poder identificar diferenças sutis para detectar novas partículas.

Um compositor envolvido com o projeto, Richard Dobson, destacou ter ficado impressionado com a musicalidade das colisões.

"É possível ouvir estruturas claras nos sons, quase como se tivessem sido compostas. Cada uma parece contar uma pequena história. São tão dinâmicas e mudam o tempo todo, que se parecem muito com as composições contemporâneas", disse o músico.

Fonte - O Globo

O cientista britânico Mark Gasson,diz ter sido contaminado por um virus

O cientista britânico Mark Gasson, da Universidade de Reading, contaminou um chip de computador que foi implantado em sua mão. O artefato, que o permite passar por portas com código de segurança e ativar seu telefone celular, é uma versão sofisticada dos chips de identificação utilizados para marcar animais.

Gasson demonstrou em experiências que o chip tem a capacidade de passar o vírus de computador para sistemas de controle externos.

Se outros chips implantados fossem então conectados ao sistema eles também ficariam corrompidos, segundo o cientista.
Alerta médico

Gasson admite que o teste apenas prova um princípio, mas ele acredita que existam implicações importantes para um futuro em que aparelhos médicos, como marcapassos e implantes cocleares (dispositivos eletrônicos que ajudam a proporcionar uma sensação de som para pessoas surdas) se tornarão mais sofisticados e correrão o risco de ser contaminados por outros implantes humanos.

"Com os benefícios deste tipo de tecnologia vêm os riscos. Nós podemos nos melhorar de alguma forma, mas assim como as melhorias de outras tecnologias, como os telefones celulares, por exemplo, elas se tornam vulneráveis a riscos, como problemas de segurança e vírus de computador", afirmou Gasson.

O cientista prevê que no futuro vá ser feito maior uso de tecnologia implantada.

"Este tipo de tecnologia passou a ser comercializado nos Estados Unidos como um tipo de bracelete de alerta médico, para escanear seu histórico médico no caso de você ser encontrado inconsciente."
Cirurgia plástica

O professor Rafael Capurro, do Instituto de Ética da Informação Steinbeis-Transfer, na Alemanha, disse à BBC News que a pesquisa é "interessante".

"Se alguém for capaz de obter acesso online a seu implante pode ser algo sério", disse.

Capurro contribuiu para um estudo para a Comissão Européia em 2005 que analisou o desenvolvimento de implantes digitais e o possível abuso deles.

"De um ponto-de-vista ético, a vigilância de implantes pode ser positiva e negativa", afirmou.

"Vigilância pode ser parte do tratamento médico, mas se alguém quer te prejudicar pode ser um problema."

Além disso, afirmou Capurro, deve haver cautela se implantes com capacidade de vigilância começassem a ser utilizados fora do campo médico.

Porém, Gasson acredita que vai haver uma demanda para estes aplicativos não-fundamentais, assim como as pessoas pagam por cirurgia plástica.

"Se nós encontrarmos uma forma de melhorar a memória ou o QI de alguém, então há uma possibilidade real de que as pessoas resolvam ter este tipo de procedimento invasivo."
fonte O Globo

domingo, 20 de junho de 2010

A cor verde da agua da represa que abastece Poços de Caldas

Durante muitas semanas a cor verde na represa que abastece 35% a cidade de Poços de Caldas foi um mistério e houve muitas especulações,pois a cor apareceu derrepente e ao que podia se ver a olho nu,era, que essa cor estava nas profundezas da dela,somente quando a quantidade de peixes começou a aparecer é que a situação começou a ficar precarias,peixes pesando mais ou menos 8 kilos aparceram mortos,grandes cardumes de bagres ficavam a flor da agua e a maioria vieram a morrer.foram feitas analises. "Nessa bacia, temos uma série de empresas, mineradoras e projetos agrícolas. Então, vamos pesquisar", disse o diretor do departamento, Armando Bertoni. "Por enquanto, estamos tranquilos. Nossa água continua com excelente qualidade."isso foi dito antes das analises.

Resultado das analises:
alto indice de fluor que fora jogado na represa por uma das maiores empresas mineradoras,nossa agua está contaminada,e vale lembrar,que o fluor não tem como ser quebrado por outro agente quimico,a represa foi esvaziada parcialmente para que cardumes sigam seu caminho rio abaixo....................

DUAS AMIGAS

DUAS AMIGAS
A PRIMEIRA FOTO Q CONSEGUI DAS DUAS JUNTAS